O Tupi nas plantas do Sertão

tupi adriano santori

O TUPI NAS PLANTAS DO SERTÃO – Adriano Santori

A língua, ou as línguas, falada no sertão, não era o tupi. Porém, com o fim da Guerra dos Bárbaros, que resultou com o extermínio dos chamados tapuias (otschucayanae), foi o tupi, a segunda língua do “colonizador português”, que perdurou nomeando também as nossas matas. Eis o significado de algumas palavras:

ANGICO – De “angicó-caá”, árvore para a doença da alma.
AROEIRA – A árvore velha. “Eira”, “era”: velho
BARAÚNA, BRAÚNA – De “ubira”, madeira + “una”: preto, a madeira preta.
CAATINGA – De “caá”, mato + “ting”, branco, mato branco, mata branca.
CABUREÍBA – De “caboré” (pássaro) + “iba”, árvore. A árvore do caboré.
CAJU – De “caá”, mato + “ju”, folhas, mato de folhas. Ou de “Acâi-ou”, que significa pomo amarelo, ou ainda, “acayu” ou “aca-iu”, que significa “noz que se produz”.}
CAPIM – De “caá”,folha + “i”, pequena. Folha pequena.
CARNAÚBA – De “karana” (pele escamosa, que arranha) + “uba”, árvore, a árvore que arranha.
CAROÁ – De “kara wã”, talo com espinho.
CATOLÉ – De “Katu’re”, o bom, o saudável.
CUMARU – De “Cuma”, alimento + “ru”: indigesto, alimento indigesto.
CRAIBEIRA de “caraí”, forte, duro + “iba”, madeira, madeira dura.
GRAVATÁ – De “ Kaa’rakua’tã” : “kaá”: folha, planta, “rákua”: ponta, tã (antã) duro, “ folha de ponta dura, pontiaguda”.
CUITÉ – De “cui”, cuia, vasilha + “etê”, verdadeiro, a cuia verdadeira.
INGÁ -De “in-gá”,  a semente ensopada.
IPÊ – De “i”, árvore + “pé”, cascuda, a árvore cascuda.
JUÁ , JOÁ – De “ayuá”, fruta dos espinho.
JUCÁ – De “yu-ká”, matar.
JUREMA – De “ju” (espinho)+ “remá” (cheiro ruim), O espinho de cheiro ruim.
MACAMBIRA – De “mbaé”+”cambira”, o que pode ferir, ofender.
MANDACARU – De “ mãdaka’ru” ou “iamanaka’ru”, que significa “espinhos em grupo que fazem mal, danificam”.
MANDIOCA – De “Mani”, nome próprio de uma índia + “oca, og”, casa, a casa de Mani.
MANIÇOBA – De “mandi’sowa”, a folha da mandioca.
MORORÓ – “Conversa fiada”. Talvez uma referência ao bate-papo que envolve os
degustadores do chá de mororó.
OITI – De “gwi’ti”, a massa apertada, comprimida. A polpa da fruta do oiti é uma massa granulosa, úmida e rígida.
OITICICA –Oiti grudento, “cica” grudento, pegajoso.
QUIPÁ – O espinheiro. Gogoia.
QUIXABA – (corte, fissura) Outro significado viria de “guessaba”, lugar de descanso, rede de dormir
TIMBAÚBA – De “timbó”, sabão + “uba”, árvore, a árvore do sabão, que dá sabão.
TRAPIÁ – “Testículo”, literalmente. Alusão ao formato da fruta.
UMARIZEIRO, MARI, UMARI – De “ y-mory”, “ubá-mo-ri-y”, que significa “árvore que verte água”.
UMBU, IMBU – De “y-mb-u”, árvore que dá de beber (podendo ser também da língua cariri).
UMBURANA – De “umbu” + “rana” (o que se parece, semelhante), o que parece com umbu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s